Pular para o conteúdo principal

Síndrome de Estocolmo




      Síndrome, sf, (palavra originada do grego antigo συνδρομή, συν+δρόμος significando "con+correr"), também chamada sindroma ou síndroma, sfou ainda síndromo, sm, é um conjunto de sinais e sintomas que define as manifestações clínicas de uma ou várias doenças ou condições clínicas, independentemente da etiologia que as diferencia. Por exemplo, a Síndrome de Raynaud pode ser uma manifestação de várias patologias ou mesmo considerado idiopático quando o estudo do paciente não encontra uma causa plausível. Também a Síndrome meníngea (associação de cefaleias, vómitos, rigidez da nuca e fotofobia) pode ser o reflexo de patologias muito diferentes como hemorragia cerebral, meningite purulenta, tuberculose meníngea ou uma simples meningite vírica. Se os sinais são exclusivamente laboratoriais e não clínicos chama-se de síndrome laboratorial (termo semiológico) para realçar o fato de que não há sinais ou sintomas clínicos que evidenciem doença. A síndrome laboratorial está presente por exemplo em indivíduos portadores de vírus mas que não têm manifestações de doença. Várias patologias podem também apresentar anomalias laboratoriais comuns com sinais e sintomas clínicos diferentes.
As síndromes usualmente são denominadas pelo nome do médico ou cientista que primeiro os descreveu (por exemplo a Síndrome de Down ou a Síndrome de Susac). Outras vezes (mais raramente) recebe o nome do paciente no qual foi diagnosticado pela primeira vez, ou ainda em referência à poesia, geografia ou história, como a Síndrome de Estocolmo, em referência ao assalto ao Kreditbanken em Norrmalmstorg, Estocolmo de 23 a 28 de Agosto de 1973.
Também se chama de síndrome certas situações em que a doença ainda não está bem declarada com todos os seu sinais e sintomas ou em que os sintomas são frustres como por exemplo a Síndrome gripal ou mesmo a gravidez.
Com a evolução do nosso conhecimento algumas sintomatologias antes consideradas como reflexo de uma doença bem individualizada, provaram hoje corresponder a um conjunto de patologias diferenciadas e passaram a ser chamadas de síndrome: é o caso da Síndrome de Parkinson ou Parkinsonismo cuja patologia mais frequente, antes considerada a única, é a doença de Parkinson.”
Esse esclarecimento consta da enciclopédia interativa Wikipedia e já antecipa algo que seria explicado pelo título deste artigo: a Síndrome de Estocolmo. Houve um assalto numa agência do Kreditbanken em Normalmtorg, Estocolmo, em que clientes e funcionários foram feitos reféns e, para encurtar a história, acabaram por afeiçoar-se aos seus algozes.
Sempre que se fala nesse síndrome imagina tratar-se de uma invenção fantasiosa, mas ela existiu, sim, e tive a oportunidade de conhecer pelo menos por fora esse estabelecimento bancário. E depois, durante o desempenho de minha atividade profissional, conhecer na prática duas manifestações dessa síndrome. Foi quando atuei na defesa de “Andinho”, no processo em que ele era acusado de ter participado da morte do Prefeito Toninho (o processo teve curso na Vara do Júri da comarca de Campinas, hoje intitulada 1ª Vara do Júri da comarca de Campinas).
O juiz titular ouviu várias pessoas que tinham sido sequestradas por “Andinho”, algumas a pedido da Promotoria de Justiça, outras a pedido da defesa, e ainda outras como testemunhas do juízo. Duas delas eram uma psicóloga e sua filha que, na noite em que Toninho foi morto, estavam em “cativeiro” sequestradas que tinham sido pelo acusado da morte do prefeito. A psicóloga não retratou nenhum maltrato que lhe fora infligido por “Andinho” e, não sei porque cargas d’água, o Promotor de Justiça resolveu perguntar a ela se o acusado fez algum churrasco. Ante a resposta sim, perguntou se a carne servida era de urubu (o fato já constituiria crime contra o meio ambiente...) e a testemunha, quase indignada, respondeu que, como conhecia carnes, podia afiançar que se tratava de picanha. Foi além: disse que às vezes o acusado trazia doces da Doceria Amor aos Pedaços...
Outra testemunha era um jovem recém saído da adolescência. Contou que enquanto esteve sequestrado conversava longamente com “Andinho” e este certa ocasião disse-lhe que era um “cara legal” e o convidou para que compusesse a sua quadrilha. Também esta pessoa não relatou um maltrato que houvesse sofrido.
Depois da experiência que vivi nesse processo, vi a Síndrome de Estocolmo encarnada.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

William Waack e o racismo

A mulher honesta no Código Penal

O Código Penal de 1940 (que entrou em vigor no ano de 1942, a 1º de janeiro) trazia no artigo 215 – crimes contra os costumes - a descrição da conduta criminosa chamada “posse sexual mediante fraude”. Era, por assim dizer, o oposto do estupro, que vinha descrito no artigo 213, em que a conjunção carnal era obtida mediante o emprego de violência ou grave ameaça. Na “posse”, a conjunção carnal era obtida com o emprego de fraude, o que levou algum doutrinador a apelida-la de “estelionato sexual”. A descrição típica era esta: “ter conjunção carnal com mulher honesta, mediante fraude”, com a pena de reclusão, de 1 a 3 anos. O artigo seguinte (216) definia o crime de atentado ao pudor mediante fraude, assim redigido: “induzir mulher honesta, mediante fraude, a praticar ou permitir que com ela se pratique ato libidinoso diverso da conjunção carnal", com a pena de reclusão de 1 a 2 anos. O emprego do conceito “mulher honesta”, ou somente “honesta” vem de longa data, desde as Ordenações Fi…

A morte do prefeito

Aquela tinha sido em Campinas uma segunda-feira como todas as outras de fim de inverno, quase início de primavera: ensolarada, quente e com bastante trabalho, mais parecendo um dia de verão. Aulas no período da manhã na Faculdade de Direito da PUCCamp, audiências no período da tarde na Vara do Júri da comarca de Campinas, com uma ida antes e outra depois à Seccional de Assistência Judiciária da Procuradoria Regional de Campinas. Aulas também no período noturno. Por volta de onze e meia da noite, quando já estava preparado para dormir, soou o telefone fixo de minha casa. Pelo horário, um telefonema pode ser sintoma de má notícia: era, mas não envolvendo ninguém da família. Do outro lado da linha, uma parente, emocionada, dizia, aos prantos, para ligar a televisão num canal local: o Prefeito Toninho havia sido morto. Liguei o aparelho e me inteirei da notícia. O susto foi imenso, porém nada havia a fazer senão dormir. Mal imaginava de depois de aproximadamente um ano eu estaria atuando …