Pular para o conteúdo principal

Tio Fran e as viagens aéreas


 
            Todos os que fazem viagens aéreas sabem que as companhias sempre colocam à disposição do passageiro uma série de entretenimentos, além de, dependendo do tempo de percurso, algumas refeições (em relação a algumas companhias, chamar de refeição o “grude” oferecido é um exagero...). Essas diversões compreendem filmes (no voo da American Airlines São Paulo a NY [950], à disposição dos passageiros havia alguns filmes muito recentes, tais como “Vício inerente” e “Negócios inacabados”, além de séries de televisão, como “Stan, o cão blogueiro”, do Disney Channel, e “Games of thrones”; alguns clássicos, como “Ben-Hur” também podiam ser vistos), além de músicas. Também as aéreas oferecem uma revista a bordo para deleite dos leitores (há algumas que oferecem a leitura de e-books).
            Uma das revistas de bordo da American Airlanes chama-se “Nexos” e é bilíngue, impressa em português e espanhol. A referente aos meses de junho e julho traz matérias interessantes. Uma delas é sobre a atriz Salma Hayek, nascida no México e naturalizada norte-americana, que já atuou em filmes famosos e por sua atuação em "Frida" foi indicada ao Oscar. Outra matéria interessante é sobre Punta del Este, o famoso balneário no vizinho Uruguai. Lendo-a, é possível saber que o bilionário estadunidense, e candidato a candidato a presidente, Donald Trump tem naquela cidade sul-americana um empreendimento, mais especificamente uma torre de apartamentos, valendo cada um a bagatela de 2 milhões de dólares. Mais uma assunto interessante é sobre a brasileiríssima caipirinha, em que é abordada a bebida e há uma referência - desairosa, claro - ao ex-presidente Lula, que não via a hora de terminar seu mandado (nem nós, óbvio...) para tomar uma dose da "marvada" todos os dias. A  cachaça preferida por ele era produzida por uma indústria de seu vice, José Alencar. Outra matéria interessante é sobre a churrascaria Fogo de Chão e os dados são assustadores: fundada em 1979, tem 10 casas no Brasil, 25 nos Estados Unidos, uma no México e outra em Porto Rico.
            Mas o engraçado na revista é uma seção chamada “Consultório do Tio Fran”, em que a pessoa que empresta o nome a ela responde perguntas feitas por pessoas que utilizam o avião como meio de transporte. Todas as perguntas dizem respeito a viagens. Da edição junho/julho são destacadas duas. A primeira é de uma pessoa que não se conforma com o fato de alguns passageiros viajarem mal arrumados, entendendo-se como tais aqueles que estão vestindo bermudas, camiseta regata e calçando chinelos. Segundo a pessoa, e com isto todos concordam, ninguém poderia viajar assim. Outra pergunta vem de uma passageira que indagava sobre o direito de uso do descansa-braço, que, como se sabe, é para ser usado por dois passageiros simultaneamente. Tio Fran responde as perguntas com muito bom humor.
            Fiquei com vontade de encaminhar uma pergunta ao tio: por que é que algumas pessoas colocam fitas de pano de várias cores na alça da mala, com o que tornam algumas verdadeiro arco-íris. Será que é para ser mais facilmente identificada? Ou é para afastar o mau-olhado?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A mulher honesta no Código Penal

O Código Penal de 1940 (que entrou em vigor no ano de 1942, a 1º de janeiro) trazia no artigo 215 – crimes contra os costumes - a descrição da conduta criminosa chamada “posse sexual mediante fraude”. Era, por assim dizer, o oposto do estupro, que vinha descrito no artigo 213, em que a conjunção carnal era obtida mediante o emprego de violência ou grave ameaça. Na “posse”, a conjunção carnal era obtida com o emprego de fraude, o que levou algum doutrinador a apelida-la de “estelionato sexual”. A descrição típica era esta: “ter conjunção carnal com mulher honesta, mediante fraude”, com a pena de reclusão, de 1 a 3 anos. O artigo seguinte (216) definia o crime de atentado ao pudor mediante fraude, assim redigido: “induzir mulher honesta, mediante fraude, a praticar ou permitir que com ela se pratique ato libidinoso diverso da conjunção carnal", com a pena de reclusão de 1 a 2 anos. O emprego do conceito “mulher honesta”, ou somente “honesta” vem de longa data, desde as Ordenações Fi…

O cunhado de Ana Hickmann e o excesso na legítima defesa

Dia de branco

Durante a minha adolescência era comum dizermos no domingo à noite: “vamos embora que amanhã é dia de branco”. Ou: “segunda-feira é dia de branco”. Ninguém sabia o significado destas palavras, mas, para nós, significava que deveríamos nos recolher porque no dia seguinte trabalharíamos. Depois de quase 50 anos passados dessa época, e tendo em vista o que li num jornal local, resolvi pesquisar no Google o significado da expressão. Tudo parece fácil hoje: basta abrir o “site” de busca e digitar o que se pretende buscar. Pois bem, digitada a expressão, surgiram várias referências e a que me chamou a atenção foi a do Yahoo, em que é escolhida uma resposta dentre as várias ali postadas. Transcrevo algumas: 1. “É uma frase extremamente preconceituosa e racista, e que vem sido citada desde o início do século passado. Seria como dizer que os negros são vagabundos e só os brancos trabalham.”;
2. “ouvi dizer q na época de escravidão, sábado e domingo eram a folga dos negros na época …