Pular para o conteúdo principal

Variedades

Como eu sou fã de tênis, não poderia deixar de dizer algumas palavras daquele que já está classificado como o jogo mais longo em matéria de final de Grand Slam: durou 5h53m e desenvolveu-se em 5 sets. Não assisti ao jogo inteiro porque não sou fã de nenhum dos dois envolvidos, Nadal e Djokovic. O estilo de jogo de ambos - fundo de quadra - não é agradável de se assistir. Torna-se por vezes monótono ambos trocando bolas a partir do fundo da quadra. Sou mais fã do estilo saque/voleio, que teve grandes representantes, tais como John McEnroe e Pete Sampras. Este estilo de jogo está desaparecendo do circuito da ATP, assim como são poucos os tenistas que hoje batem de esquerda com uma só mão.
Mudando de tema, a polêmica da abolição do uso das "sacolinhas" parece interminável. A campanha em Campinas, posta em "outdoors" especialmente, tinha como mote "vamos tirar o planeta do sufoco" e todo mundo sabe quanto tempo demora para a degradação desse plástico. Pois bem, parece que sempre surge quem é do contra, quem rema contra a corrente: hoje pela manhã, quando fazia a minha caminhada matinal (que, na verdade, é antes da manhã - por volta de 5h50m) ouvi na JovemPanAM um representante do PROCON/SP dizendo que a supressão das sacolinhas viola direito dos consumindores pois o fornecimento delas "fazia parte da cultura" (?). Concluía dizendo que os supermercados são obrigados a fornecer gratuitamente algo que as substitua. Ninguém pensou nisso quando se fez o projeto de lei e ele foi discutido? Em Paris, em julho de 2008, ao fazer uma compra num supermercado Carrefour, tomei um susto ao ter que pagar pelas "sacolinhas" em que levaria as compras. O susto se referia à cobrança em si, não ao valor, que eram alguns centavos de euro. Mas aqui parece que o tema vai render e eu ficarei assustado se o debate acabar desaguando no judiciário.
E como estamos em tempo de escolha dos vencedores do Oscar, sexta-feira fui assistir ao filme "Os descendentes": maravailhoso. Dificilmente não ganhará a estatueta, ao menos como filme e como melhor ator (George Clooney - soberbo no papel).
Silvio Artur Dias da Silva

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A mulher honesta no Código Penal

O Código Penal de 1940 (que entrou em vigor no ano de 1942, a 1º de janeiro) trazia no artigo 215 – crimes contra os costumes - a descrição da conduta criminosa chamada “posse sexual mediante fraude”. Era, por assim dizer, o oposto do estupro, que vinha descrito no artigo 213, em que a conjunção carnal era obtida mediante o emprego de violência ou grave ameaça. Na “posse”, a conjunção carnal era obtida com o emprego de fraude, o que levou algum doutrinador a apelida-la de “estelionato sexual”. A descrição típica era esta: “ter conjunção carnal com mulher honesta, mediante fraude”, com a pena de reclusão, de 1 a 3 anos. O artigo seguinte (216) definia o crime de atentado ao pudor mediante fraude, assim redigido: “induzir mulher honesta, mediante fraude, a praticar ou permitir que com ela se pratique ato libidinoso diverso da conjunção carnal", com a pena de reclusão de 1 a 2 anos. O emprego do conceito “mulher honesta”, ou somente “honesta” vem de longa data, desde as Ordenações Fi…

O cunhado de Ana Hickmann e o excesso na legítima defesa

Dia de branco

Durante a minha adolescência era comum dizermos no domingo à noite: “vamos embora que amanhã é dia de branco”. Ou: “segunda-feira é dia de branco”. Ninguém sabia o significado destas palavras, mas, para nós, significava que deveríamos nos recolher porque no dia seguinte trabalharíamos. Depois de quase 50 anos passados dessa época, e tendo em vista o que li num jornal local, resolvi pesquisar no Google o significado da expressão. Tudo parece fácil hoje: basta abrir o “site” de busca e digitar o que se pretende buscar. Pois bem, digitada a expressão, surgiram várias referências e a que me chamou a atenção foi a do Yahoo, em que é escolhida uma resposta dentre as várias ali postadas. Transcrevo algumas: 1. “É uma frase extremamente preconceituosa e racista, e que vem sido citada desde o início do século passado. Seria como dizer que os negros são vagabundos e só os brancos trabalham.”;
2. “ouvi dizer q na época de escravidão, sábado e domingo eram a folga dos negros na época …